O deputado e representante da Associação de Policiais de Bombeiros e seus Familiares (Aspra), Soldado Prisco (PSC), disse, durante entrevista nesta quinta-feira (28) ao programa Bnews Agora, na Rádio Piatã, que a saída do coronel Humberto Sturaro do cargo de comandante de Operações da Polícia Militar pode ser vista como uma “grande perda” para a instituição.

Sturaro foi exonerado do cargo nesta quinta-feira (27). Na publicação do Diário Oficial do Estado (DOE), não foi publicada uma nova missão para o Coronel. Conforme apurado pela redação, ele deve ir para a reserva da corporação nos próximos dias.

“É um dos poucos oficiais que conhece a área, ele trabalhou no front, no dia a dia com os policiais, com os praças. É uma grande perda, eu acho que ele deveria estar em um local de destaque. Acho também que ele cairia muito bem como comandante-geral, o atual não é uma pessoa que não tem uma boa relação dentro da corporação, de diálogo. Espero que, agora, ele [comandante-geral], possa mudar a postura, mas a perda de Sturaro é muito grande, quem perde com isso é a população também”, comentou Prisco.

O governador Rui Costa (PT) anunciou, no mês passado, a escolha do coronel Paulo Coutinho como novo comandante-geral da Polícia Militar da Bahia. Prisco afirmou que concorda com as mudanças dentro da PM, mas que acha necessário que o jogo de cadeiras não se restrinja apenas à alta cúpula.

“Eu acredito que toda mudança oxigena a corporação, mas não basta só mudar na estrutura de cima porque quem faz o combate no dia-a-dia é a ponta, os praças, em sua maioria soldados, cabos, sargentos, subtenentes, então, enquanto o governo do estado só mudar a estrutura lá em cima e não olhar para baixo, a realidade da violência na Bahia não vai mudar em nada”, completou o deputado.